Em março, projeto literário chega à 14ª edição na Galeria Trapiche recebendo poetisa maranhense que trocava correspondências com Carlos Drummond de Andrade e Clarice Lispector.

O Literatura Mútua promove nesta quarta-feira (15/03) roda de conversa com a escritora rosariense Aurora da Graça, autora da coletânea de poemas O Tempo Guardado das Pequenas Felicidades (2009) comentando experiências de leitura e escrita a partir das 19h30, na Galeria Trapiche (Praia Grande, em frente ao Terminal de Integração). A entrada é gratuita e a mediação é da jornalista Talita Guimarães.

Professora e Bibliotecária, Aurora da Graça se alimenta dos elementos que a vida ao redor lhe fornece, da pungência contida em porta-retratos empoeirados à leveza de barquinhos à vela. Sua poesia, fortemente marcada por uma conjunção de imagens e sentimentos, evoca uma voz interior que passeia pelo tempo da memória, das paixões aos afetos cujo lugar de morada inevitável é o poema. Na coletânea O Tempo Guardado das Pequenas Felicidades (2009) é possível conferir a reunião revisada dos três primeiros livros da autora – Cavalo Dourado (1977), Nó de Brilho (1981) e Memória da Paixão (1987) – à sua poesia inédita.

É uma honra compartilhar uma conversa sobre literatura e vida com uma poetisa que domina a versificação com uma investigação profunda dos sentidos que atravessam a existência humana. Não é à toa que a poesia de Aurora da Graça tenha sido admirada por gigantes como José Chagas e Carlos Drummond de Andrade. Aurora é tão imensa quanto seus contemporâneos”, afirma a mediadora do LM Talita Guimarães, que destaca ainda a importância histórica da presença de Aurora da Graça no cenário literário nacional. “Recentemente, o biógrafo estadunidense Benjamin Moser divulgou a última carta escrita por Clarice Lispector em 1977 relatando uma possível vinda ao Maranhão. A cópia da mesma carta já havia sido publicada na edição de O Tempo Guardado das Pequenas Felicidades de 2009, atestando que a destinatária mencionada é a Aurora!”, observa Talita.

LITERATURA MÚTUA – Projeto literário sem fins lucrativos, idealizado pela escritora e jornalista Talita Guimarães, que visa reunir escritores contemporâneos publicados ou não, em rodas de conversa mensais sobre experiências de leitura e escrita. Em 2016, o Literatura Mútua promoveu onze edições entre agosto e dezembro na Galeria Trapiche e na Feira do Livro de São Luís –FeliS. Em 2017, o projeto amplia atividades com edições mensais sendo realizadas também na Biblioteca Municipal José Sarney (Rua do Correio, s/n – Bairro de Fátima) e em visitas a escolas, como o Centro de Ensino São Cristóvão.

Entre poetas, cronistas, romancistas, jornalistas e dramaturgos, já compartilharam suas experiências com o projeto os escritores Felipe Castro (MA), Sabryna Mendes (MA), Jônatas (MA), Júlia Emília (MA), Thalita Rebouças (RJ), Ferréz (SP), Duda Veloso (MA), Igor Nascimento (MA), Gustavo Lacombe (RJ), Zema Ribeiro (MA), Manu Marques Barbosa (MA), Laísa Couto (MA) e Elizeu Cardoso (MA).

Em 2017, passarão pelo projeto ainda Dyl Pires (MA), Thayná Rosa (MA), Beto Scanssete (MA), Déa Alhadeff (MA), Fernando Abreu (MA), Jorgeana Braga (MA), Bruno Azevêdo (MA), Frederick Brandão (MA), Sharlene Serra (MA), Rose Panet (PB) e Júnior Lobo (MA).

CIRCULAÇÃO – A segunda edição do Literatura Mútua na Biblioteca Municipal do Bairro de Fátima recebe a escritora maranhense Sabryna Mendes para conversa com os estudantes do CEB Antonio Jorge Dino, na sexta-feira (17/03) a partir das 15h, sob mediação da jornalista Talita Guimarães. A Biblioteca Municipal José Sarney fica localizada na Rua do Correio, s/n – Bairro de Fátima e desde fevereiro é parceira do LM para edições mensais do projeto.

SABRYNA MENDES – Natural de Itapecuru-Mirim-MA, reside em São Luís há 7 anos. Estudante de Comunicação Social – Jornalismo na UFMA. Vencedora do 35° Concurso Cidade de São Luís na categoria Romance (Prêmio Aluízio Azevedo) com o livro “Cafés Amargos”.

TALITA GUIMARÃES – Nasceu em São Luís-MA (1989), é jornalista e escritora. Autora de Recorte! (2015) e Vila Tulipa (2007), agraciado com Prêmio Odylo Costa, Filho no XXX Concurso Literário e Artístico Cidade de São Luís em 2006. Edita o Ensaios em Foco (www.ensaiosemfoco.com), escreve e ilustra crônicas às quintas-feiras para o Armazém de Cultura (www.armazemdecultura.wordpress.com.br) e desenvolve projetos para Cinema e TV Pública em São Luís-MA, onde reside.