O projeto Literatura Mútua promoverá, a convite da 10ª Feira do Livro de São Luís – FeliS, seis rodas de conversa com autores nacionais e locais mediadas pela jornalista e escritora Talita Guimarães entre os dias 07 e 12 de novembro no Espaço Jovem, auditório instalado na praça da Casa do Maranhão, na Praia Grande. Participarão das edições especiais do projeto literário dentro da programação da FeliS os escritores Thalita Rebouças (07/11), Ferréz (08/11), Duda Veloso (09/11), Igor Nascimento e Gustavo Lacombe (10/11), Sabryna Mendes (11/11), Zema Ribeiro (12/11) e Caco Barcellos (13/11). Todos os encontros serão às 17h.

“Nossa cidade terá a honra de reunir ao longo de uma semana autores contemporâneos de vários gêneros e temáticas para compartilhar conosco experiências de leitura e escrita, que nos darão um panorama bastante rico da literatura nacional produzida e consumida atualmente. Será uma ótima oportunidade para trocar ideias e dicas de leitura, além é claro de conhecer pessoalmente os escritores.”, destaca a jornalista Talita Guimarães, idealizadora do projeto que já vem acontecendo mensalmente na Galeria Trapiche e que em virtude da feira, foi integrado à programação do Espaço Jovem.

As rodas de conversa do Literatura Mútua priorizam experiências de leitura e escrita de autores publicados ou não, que são convidados a relatar como a leitura atravessa suas percepções humanas e influenciam em seus trabalhos. Durante a conversa, o público pode interagir com os autores e no final participar de sessões de autógrafos e lançamentos.

A edição do sábado (12/11) será dedicada ao lançamento de Recorte!, segundo livro da mediadora do projeto, com uma roda de conversa entre Talita Guimarães e o jornalista Zema Ribeiro às 17h. Na oportunidade, o público poderá folhear exemplares do livro, conhecer os manuscritos de Recorte! e as ilustrações que dialogam com as crônicas da autora. Mais tarde, às 19h Talita autografará o livro no estande do Movimento Sebo no Chão, no Espaço Sebo Cultural.

Já no domingo (13), o jornalista gaúcho Caco Barcellos conversa com o público do Espaço Jovem às 17h sob mediação das Coordenações da Feira e da Juventude.

LITERATURA MÚTUA – Projeto literário sem fins lucrativos idealizado pela escritora e jornalista Talita Guimarães que visa reunir escritores contemporâneos publicados ou não, em rodas de conversa mensais em que ambos comentem os livros um do outro e suas experiências de leitura. Já participaram do projeto os escritores Felipe Castro, Sabryna Mendes e Jônatas. Após a edição especial durante a FeliS, o projeto retorna à Galeria Trapiche na quarta-feira (16/11) para uma roda de conversa com a dramaturga Júlia Emília e em dezembro (14/12) com a poetisa Manu Marques Barbosa. Os encontros na Galeria Trapiche (em frente ao Terminal da Praia Grande) acontecem sempre às 19h30, com entrada gratuita.

TALITA GUIMARÃES – Nasceu em São Luís-MA (1989), é jornalista e escritora. Autora de Recorte! (2015) e Vila Tulipa (2007), agraciado com Prêmio Odylo Costa, Filho no XXX Concurso Literário e Artístico Cidade de São Luís em 2006. Edita o site Ensaios em Foco (www.ensaiosemfoco.com), escreve e ilustra crônicas às quintas-feiras para o Armazém de Cultura (www.armazemdecultura.wordpress.com.br) e desenvolve projetos para Cinema e TV Pública em São Luís-MA, onde reside.

AUTORES CONVIDADOS DA 10ª FELIS NO LITERATURA MÚTUA:

THALITA REBOUÇAS (RJ) – Jornalista de formação, mas abandonou as redações para batalhar pelo sonho de ser escritora. Deu certo. Aos 25 anos, lançou seu primeiro livro, Traição entre amigas (Ao Livro Técnico), e ao longo de seus 16 anos de carreira, publicou 20 títulos, alcançando a extraordinária marca de 2 milhões de livros vendidos, com direitos vendidos para mais de 20 países. Depois de ter duas obras adaptadas para o teatro (Fala sério, mãe, em 2007; e Tudo por um pop star – O musical, em 2014), atualmente seus filmes baseados em suas histórias estão em produção: Ela disse, ele disse; Uma fada veio me visitar; Fala sério, mãe!;  Era uma vez minha primeira vez; Tudo por um pop star e Tudo por um namorado. Tem uma coluna semanal no jornal Extra e um canal no Youtube em que ensina seus leitores a preparar receitas simples, o Canal da Thalita. Carioca, tem paixão por brigadeiro de colher, samba e adrenalina.

FERRÉZ (SP) – Antes de se dedicar exclusivamente à escrita, atividade que faz parte de sua vida desde os 12 anos, e se tornar um dos expoentes da literatura marginal, o paulistano Ferréz trabalho como balconista, auxiliar-geral e arquivista. Seu primeiro livro, Fortaleza da Desilusão, foi lançado em 1997, mas foi após Capão Pecado (2000) que ele se firmou como um dos mais reconhecidos escritores de sua geração. Entre seus livros de maios repercussão estão o romance Manual prático do ódio e Deus foi almoçar (ambos editados pela Planeta). Teve obras publicadas na França, Itália, Espanha, Portugal, México, Argentina, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e foi um dos autores brasileiros selecionados para participar da Feira de Frankfurt de 2013. Ligado ao movimento hip hop – é autor de várias músicas do gênero e lançou dois CD’s – fundou o selo Literatura Marginal e a marca de roupas 1DASUL. Contos de sua autoria foram adaptados para TV e para os quadrinhos e ele colaborou para o roteiro do filme Bróder e os seriados televisivos Cidade dos Homens (Globo) e 9MM (Fox). Atua, ainda, como conselheiro editorial do Le Monde Diplomatique Brasil e tem um blog sobre militância e cultura de periferia. Ferréz vive com a esposa e a filha no bairro Capão Redondo, periferia de São Paulo, onde mantém a ONG Interferência, voltada para educação infantil.

DUDA VELOSO (MA) – A estudante maranhense de apenas 17 anos é a mais nova escritora entre os convidados do Literatura Mútua. Nasceu em 1998 e começou a esboçar os primeiros capítulos de seu romance de estreia Sacrifício (2016) aos 14 anos. Inspirou-se em Lygia Fagundes Telles e outros grandes escritores para desenvolver sua narrativa, que experimenta o universo da ficção sobrenatural com voz e imaginação próprias. Sacrifício valida toda a trajetória dessa jovem autora, que transpôs desafios como a idade e a dislexia para experimentar da indescritível sensação de apresentar seu livro – o primeiro de muitos – para os amantes da literatura maranhense e nacional. Não é demais dizer que o livro vai além da conturbada aventura de sua protagonista Ashley, representando um verdadeiro elemento transformador da vida de sua autora, amigos e familiares.

IGOR NASCIMENTO (MA) – Natural de São Luís (1987), é dramaturgo, roteirista e diretor.  Formado em Letras com Habilitação em Literatura e Língua Francesa e mestrando do Programa de Pós Graduação em Cultura e Sociedade com dissertação voltada para dramaturgia e cinema (processo de criação de textos). No teatro assinou o texto e a direção das peças: De Assalto (2010), Um Dedo por Um Dente (2011, melhor cenário e melhor ator Prêmio Sated 2011), Dona Derrisão (2013, melhor cenário Prêmio Sated 2013) – todas do grupo Petite Mort, do qual é membro fundador – e também: A Vida Por Fio (2014, Festival Internacional de Home Theatre de Cenas em Casa, no Rio de Janeiro) e As Três Fiandeiras (2015), em parceria com o grupo Xama Teatro. Foi preparador de atores na peça Besta-Fera, trabalhando com Maria Ethel, no espetáculo Besta-Fera, na temporada de 2014. Preparou o elenco principal do filme O Camelo o Leão e a Criança (2014), dirigido por Paulo Blitos. Em andamento também se encontra a peça Atenas Sangue de Body, em coautoria com Lauande Aires, pela cia Santa Ignorância, projeto de montagem contemplado pelo prêmio Myriam Muniz de Montagem 2015. No âmbito da escrita, Igor Nascimento escreveu e atuou, em 2009, a radionovela Dom Cosme – O Tutor da Liberdade (2011, Prêmio Roquette Pinto), em coautoria com Lauande Aires. Em 2013, sob a direção de Luis Pazzini, compôs o texto Nêgo-Cosme em Movimento (2012-2013). Foi também selecionado no Projeto Cinerama com o argumento para filme Ponto-Final. Os livros publicados são O Assassinato de Charllenne e As Três Estações da Loucura, ambos premiações do Plano Editorial Gonçalves Dias 2009. Em 2014, foi contemplado pelo edital de Patrocínio do Banco da Amazônia, para publicação de Caras-Pretas, pela Editora Resistência Cultural. No âmbito pedagógico, Igor Nascimento desenvolve Ateliês de Dramaturgia – ateliê aqui entendidos como lugar de criação, de confecção, de feitura – desde 2014, iniciando no projeto Casa das Bicas (40h), no Coroadinho, em seguida no Projeto Comunica Paz (60h), na Vila Embratel, em 2015.

GUSTAVO LACOMBE (RJ) – Natural do Rio de Janeiro-RJ, é jornalista e autor de O Amor é para os raros e Destino, acaso ou algo mais forte. Escreve por esporte, paixão e prazer. Acredita no amor bonito mesmo que a vida não seja sempre leve assim. Romântico, corredor de meias-maratonas e feliz proprietário de um bom violão, volta e meia transborda em palavras o que lhe inspira, expira e o que vive. Ou gostaria de ter vivido. Publica textos, ideias e poesias no gustavolacombe.com.br.

SABRYNA MENDES (MA) – Natural de Itapecuru-Mirim-MA (1994), reside em São Luís há 7 anos. Estudante de Comunicação Social – Jornalismo na UFMA (7° período). Vencedora do 35° Concurso Cidade de São Luís na categoria Romance (Prêmio Aluízio Azevedo) com o livro Cafés Amargos.

ZEMA RIBEIRO (MA) – Jornalista, com atuação na área de cultura há mais de uma década. Foi assessor de organizações de direitos humanos, sindicatos e conselhos de classe. Já colaborou e/ou foi colunista de todos os jornais ludovicenses. Atualmente mantém, no portal do jornal O Imparcial, o blogue Homem de vícios antigos, onde escreve regularmente. Produz e apresenta, com Gisa Franco, de segunda a sexta, das 16 às 18h, na Rádio Timbira AM, o programa Balaio Cultural.

CACO BARCELLOS (SP) – Gaúcho de Porto Alegre-RS, é jornalista com 38 anos de experiência em coberturas de assuntos relacionados com a justiça social e a violência. Seus livros Rota 66 e Abusado receberam o Prêmio Jabuti de Literatura. É repórter de televisão desde 1984, com passagens pelo Jornal Nacional, Fantástico e Globo Repórter. Em 2006, criou o Profissão Repórter, programa que dirige até hoje na TV Globo. Em dez anos de existência, as equipes do programa participaram de coberturas que vão da Primavera Árabe ao terremoto no Haiti, de enchentes históricas à violência urbana no país. O Profissão Repórter foi indicado ao Emmy International Awards em 2012. Em 2016, lança juntamente com sua equipe de jovens repórteres o livro Profissão Repórter 10 anos – grandes aventuras, grandes coberturas (Planeta), com relatos da equipe sobre os bastidores do programa.